Blog do Moloni

Contabilidade

29-07-2020

FIFO e LIFO - O que são e para que servem

Conheça os vários métodos de valorização de stocks e decida o que melhor se adapta ao seu negócio e ao tipo de produtos que movimenta.

FIFO e LIFO - Imagem Blog

A gestão de inventários e stocks assume importância em duas vertentes da vida e gestão empresarial: a gestão logística que pode ter influência na gestão de espaços e equipamentos de transporte ou da validade dos produtos, por exemplo; e a valorização dos produtos detidos pela empresa em armazém, valores que têm um papel determinante na fixação dos preços de venda, na realização de campanhas ou na comunicação de valores às Autoridades Fiscais.

A aquisição de um mesmo produto em momentos e com preços diferentes torna necessário o estabelecimento de um método que distinga bem os momentos e os produtos que lhe estão associados. Em paralelo, a utilização de uma destes métodos e técnicas permite ao empresário contar com um ambiente organizado, com um apurado controlo sobre as unidades entradas e saídas.

As metodologias mais comumente utilizadas para o controlo de stocks são a FIFO e a LIFO, acrónimos do inglês que significam “First In First Out” - primeiro a entrar, primeiro a sair e “Last In First Out” - último a entrar, primeiro a sair. São ainda utilizadas outras metodologias mas de forma menos comuns como o FEFO “First Expire First Out”, o LIFO “Last In First Out” ou o LILO “Last In Last Out”. é ainda de considerar uma metodologia que combina as médias de custos que é o CPM, o Custo Médio Ponderado.

A utilização do FIFO significa que os itens que há mais tempo foram adquiridos são os primeiros a ser vendidos. Isto significa que o custo associado às unidades de stock mais antigas é o primeiro a ser contabilizado e deduzido. Já no LIFO, as unidades de stocks adquiridas mais recentemente são as vendidas em primeiro lugar sendo também contabilizados e deduzidos todos os custos relativos a estas unidades mais recentes. Os diferentes tratamentos contabilísticos e as diferentes consignações de custos às respetivas rubricas impacta também os resultados operacionais da empresa, sendo que a utilização do LIFO apresenta geralmente resultados mais baixos do que o FIFO. Ambas as valorizações apresentam também consequências na inscrição dos ativos em balanço já que os valores incluídos por qualquer uma das metodologias serão retratos diferentes dos ativos detidos pela empresa. 

Assim, enquanto a valorização contabilística tem parametrizações próprias que condicionam resultados, a escolha da metodologia para fins logísticos está mais relacionada com os próprios produtos a armazenar e a movimentar. Assim, o FIFO é utilizado para bens em que o tempo de armazenagem e tempo de prateleira é curto a médio ou produtos sem data de validade mas de substituição como é o caso dos detergentes. Já o LIFO é o método geralmente utilizado para stocks de grande rotação, com vida de prateleira reduzida como é o caso dos produtos diários. Este método pode ainda ser utilizado em produtos de procura flutuante como forma de atender a momentos de pressão de procura.

Em caso de dúvida, consulte os seus serviços de contabilidade para ter mais informações sobre o ou os métodos que se adaptem melhor para medir os seus resultados e controlar os seus movimentos de stock.

Registe-se e experimente grátis durante 30 dias!
Experimentar
Login/Entrar
Subscreva a Newsletter
Subscrever
© 2020 Moloni
Software de facturação online
Certificado pela Autoridade Tributária Nº1455
O Moloni utiliza cookies para lhe garantir a melhor experiência enquanto utilizador. Ao continuar a navegar no site, concorda com a utilização destes cookies. Entendi e aceito